Casal muçulmano é preso sob acusação de matar a própria filha adolescente com ácido e defende ataque

07/11/2012 10:31

Um casal muçulmano foi acusado de matar a própria filha com ácido numa vila no interior do Paquistão. Segundo depoimento prestado pelos pais da jovem de 15 anos, a medida tomada se deu para evitar a desonra da família, após a garota ter olhado por duas vezes para um rapaz que havia passado de moto em frente a sua casa.

A garota, chamada Anusha, teve 60% do corpo queimado e antes de ser socorrida, disse à sua mãe que não havia nenhum interesse ao olhar: “Ela disse que não tinha feito de propósito, e que não olharia de novo. Mas aí eu já tinha jogado o ácido. Era o destino dela morrer dessa maneira”, afirmou Zaheen, a mãe.

O pai também foi acusado participar do homicídio, pois segundo a polícia, ele teria espancado a jovem e a mantido presa sem cuidados médicos: “Ela (Anusha) virou-se para olhar para ele duas vezes. Eu disse a ela para que não fizesse isso, porque era errado. As pessoas falam de nós porque nossa filha mais velha era assim também”, relatou Muhamad Zafar, pai da garota.

Segundo a BBC, a Comissão de Direitos Humanos do Paquistão identificou 943 casos de agressão a mulheres por desonra durante o ano de 2011. O aumento das ocorrências em relação a 2010 foi superior a cem casos.

A polícia do distrito de Kotli, na região da Caxemira Paquistanesa (território disputado pelo país com a Índia), afirmou que casos como esse são raros da região. Assista a reportagem completa da BBC neste link.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!